O terrunho

«Portugal abre a gesta das navegações de descobrimento e do traçado das grandes rotas oceânicas quando se afirma como nação no quadro peninsular. Perturbador sincronismo, que conduz esse pequeno país ao singular destino de construtor de impérios e de gentes dispersas por todo o orbe, sempre com os problemas do terrunho por resolver. A escolha numa decidida entre a boa capa e o mau capelo.» (1962)

Vitorino Magalhães Godinho. A história é dos marxistas que escrevem bem.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s